sexta-feira, 7 de novembro de 2014

Alô mundo: Alcoolismo

Alô mundo: Alcoolismo

Paciência, um dom divino


"Senhor dai-me paciência. Quero paciência agora mesmo". Passados dez dias pós cirurgia, eu retorno aos médicos para uma avaliação e a conclusão de todos é a de que estou me recuperando muito bem. Mas... Como todo ser humanno, cheio de defeitos e insetisfeito por natureza, estou eu aqui impaciente e ansiosa para ficar livre dos drenos e amarras que me limitam e impedem que eu volte as minhas atividades. Na verdade, a habilidade de lidar com nossos problemas vem sempre seguida por um processo de aceitação. Por mais que a situação seja desagradável, dolorida e cause desconforto, aceitar a realidade nos torna capazes de enfrentar as situações difíceis e descobrir o que podemos fazer para remedia-las. Um bom começo pode ser agradecer a dádiva de um novo dia. Cada momento desse dia é precioso para mim. Tenho 24 horas para gastar hoje. Posso ter nesse tempo a oportunidade de aprender e crescer. Posso usar esse tempo para melhorar meu relacionamento com Deus, por meio de orações, com as outras pessoas por meio de telefonemas ou e mail, e comigo mesma através de meditação.

Câncer Free


     
         Hoje, 7 de novembro de 2014, estou no Presbyterian  Hospital, tomando mais uma dose de medicação. Esta medicação faz parte do tratamento contra o câncer de mama, e tem que ser ministrada  a cada três semanas durante  um ano ainda, sendo que não tem efeito de combate e sim  de prevenção contra um reaparecimento de células cancerígenas. Graças  a Deus, ao contrário das outras, esta não tem maiores efeitos colaterais. O tratamento continua apesar do sucesso da quimio e mastectomia que me deixaram quase cem por cento livre da doença. Agora estou em processo de reconstrução. O que me faz lembrar das bonecas de pano que minha vovó fazia quando eu era criança. -  Costura aqui, preenche ali, descostura, tira um pouco de enchimento, costura de novo... E assim vai.. - Tudo bem. Rsrsrs.  O importante  é que  estou viva, mais forte do que nunca, serena e com a fé aumentada, pronta para superar qualquer obstáculo que aparecer no meu caminho. Ainda tenho fazer mais duas cirurgias plástica, e  a respeito  da radioterapia...  - Fui dispensada.  Vou apenas participar de um estudo sobre ela. Durante os próximos cinco anos, vou ser acompanhada por alguns médicos, fazer exames e responder questionários sobre minha recuperação.  Os profissionais desta área, esperam que no final do programa, no qual estarão participando portadoras de câncer de  mama de todo o país, poder  afirmar com segurança, se a radiação trás mais benefícios ou danos as pessoas que fazem uso dela para tratamento de câncer.

terça-feira, 23 de setembro de 2014

Período de recuperação.

  • Ana Correia Granado
    Aqui estou eu novamente, cansada de descansar. Sei que não deveria reclamar da vida. Que existem muitas pessoas que gostariam muito de ter algumas horas de descanso e não podem. Mas para nós, seres humanos, o nosso problema sempre  é o maior  porque é o que você esta vivendo no momento. No geral eu estou bem. Os medicamentos para dor estão ajudando muito . Quanto ao  relaxante  muscular eu estou com duvidas. Mas as pessoas que passaram por isso dizem que é normal essa sensação de que você não esta cabendo dentro do corpo . Na parte do tórax tenho impressão que a pele e menor que o corpo e que foi esticada, esticada como um tamborim. Rsrsrs.... Isso certamente,além   de incomodo, reduz os movimentos acima da cabeça ou abaixo da cinturaMas, com cuidado,vou me virando como posso. Nenhuma situação, boa ou ruim dura para sempre.

terça-feira, 2 de setembro de 2014

O lado bom da vida

Há um grande sábio que diz: De cada coisa ruim que te acontecer na vida, procure extrair ao menos três coisas boas. Assim as coisas não parecerão muito ruins.
O que essa doença me trouxe de bom foi a proximidade das minhas filhas e a solidariedade dos familiares e amigos me dando força, e a certeza de que sou amada e de que não estou só nessa luta.Obrigada  a todos que ajudaram, e sei que continuarão ajudando a amenizar sofrimentos e dificuldades que ainda estão por vir. Amo todos vocês..

segunda-feira, 1 de setembro de 2014

Eu

Posso ser leve e suave como a brisa que sopra na manhã, ou forte como a tempestade. Depende de como e onde você me ver passar.



quinta-feira, 24 de julho de 2014

Desejos e Deveres

Então, após a penúltima sessão de quimio, (resta só mais uma, que será aplicada  dia 25 do mês corrente, Graças a Deus , Aleluia!), eu fui a uma consulta com a minha oncologista, uma ótima  profissional., mas.. do tipo ´´- A médica aqui sou eu, faça o que mando, não faça perguntas." Acho que desenvolvi um certo tipo de implicância com a sua pessoa, rsrsrsr. Talvez porque foi ela que disse que eu estava com câncer e que eu precisava fazer quimioterapia. É óbvio que ninguém gosta de ouvir isso. Foi ela também que disse que ia ficar sem meus cabelos. Depois disse que eu ia ter que injetar insulina nas veias porque a medicação ia fazer aumentar a taxa de glicose de tal maneira que os comprimidos que tomo para diabetes não iriam ser suficientes.Quando tive problemas com um dente, disse que não deveria fazer tratamento dentário pois correria riscos de infecção ou hemorragia. Pediu tambem para que fossem evitados beijos e abraços, aglomerados de pessoas para não ficar expoata  a  infecções, e quando disse que pretendia visitar a família em agosto, uma semana depois da  ultima sessão, achou a idéia absurda e irresponsável...rsrsr. Em resumo ficou dificil para mim nutrir simpatia por alguém que diz: - Não saia de casa, não viaje, não veja, não beije nem abrace amigos ou  familiares,fique careca e sem dentes, sentada num sofá e se espetando com uma agulha. Isso por  nomínimo  quatro meses... Rsss. Bem, finalmente os quatro meses estão chegando ao fim, e o que importa é que, segundo a doutora o tumor foi reduzido a zero. 
- Que maravilha! Dissse eu. Então não vai ser necessário cirurgia ou radioterapia? E lá vem ela  novamente dizer coisas que eu não queria ouvir. Disse que o tumor foi reduzido, mas posso estar com células doentes espalhadas pelo corpo e blá blá blá, blá blá blá. Enfim com todos seus argumentos  científicos, me convenceu que  preciso seguir o tratamento previsto até fim, que a pior parte está terminando, e que eu tenho me saído melhor que o esperado. Agora é rezar para que corra tudo bem na última sessão, que eu me recupere rápido e possa , na próxima semana, viajar para o Brasil, matar a saudade da família e retornar bem, com as energias renovadas para encarar as novas etapas do tratamento.